O Oxigénio Negativo

No que ao vinho se refere, o oxigénio negativo é uma nova solução para o tratamento do ar na prevenção e na eliminação de possíveis riscos organolépticos. Portanto, o oxigénio negativo contribui para a limpeza do ar de maneira natural, devido aos seus principais benefícios biocidas.

Os iões são produzidos na natureza por radiações cósmicas, por diferentes fenómenos meteorológicos (tempestades, cascatas, raios, ventos, etc.). Nos dias de tempestade, o ar fresco renova-nos e sentimos uma maior vitalidade. Isto deve-se aos relâmpagos que criam um excesso agradável de iões negativos em relação aos iões positivos existentes antes da tempestade. As zonas montanhosas são lugares de especial ionização negativa porque os estratos rochosos são mais radioactivos que a superfície comum, e a radioactividade da terra origina ionização negativa na atmosfera. Além disso, o ar está mais limpo de pó, e este é um grande destruidor da ionização.

No que ao vinho se refere, o oxigénio negativo é uma nova solução para o tratamento do ar na prevenção e na eliminação de possíveis riscos organolépticos. Portanto, o oxigénio negativo contribui para a limpeza do ar de maneira natural, devido aos seus principais benefícios biocidas.

A produção de oxigénio negativo por ionização do ar tem os seguintes efeitos:

  • É um princípio activo contra os mofos (Penicillium, Aspergillus…) e leveduras (Brettanomyces).
  • Destrui por oxidação diferentes moléculas orgânicas que geram maus odores.
  • É preventivo nos locais de stock de matérias-primas (rolhas, cápsulas, cartão, etc.)
  • Permite a reabilitação de recipientes vínicos (inoxidável, poliéster, cimento, barricas, madeira) contaminados por Brettanomyces ou outros microorganismos pelo seu efeito fúngico e bactericida.

Princípio Activo

O oxigénio negativo como princípio activo biocida suprime a actividade biológica dos diferentes microorganismos. A produção de iões negativos (O-) elimina de maneira natural e eficaz os elementos fúngicos e os aromas. Estes iões negativos neutralizam electricamente os catiões presentes no ambiente (agentes de contaminação) e destroem também os agentes microbiológicos responsáveis por contaminações cruzadas (bactérias, mofos, leveduras como as Brettanomyces).

Tecnologia baseada num gerador HFCP (high frequency controled pulsed). O equipamento permite controlar totalmente o processo de geração de iões negativos: descargas eléctricas de alta frequência – superiores a 1.000 Hz – e tensão média de cerca de 3.500 V.

click para ampliar

Desinfecção de recipientes: Inoxidável, poliéster, barricas.

Um dos problemas existentes no vinho é a contaminação por diferentes microorganismos responsáveis por desvios organolépticos. Uma vez o vinho contaminado e em função da intensidade da contaminação, esta é muitas vezes difícil de eliminar, além de que gera sempre uma perda do carácter frutado. Uma base importante para prevenir estas contaminações são as precauções técnicas a ter na elaboração do vinho desde a uva até à garrafa, como pode ser o controlo do pH, da temperatura, do sulfuroso activo molecular, etc. Mas a limpeza é também um factor fundamental para evitar contaminações cruzadas entre um determinado vinho e outro vinho contaminado. Por isso, necessitamos de procedimentos de limpeza específicos.

VECTOCLEAN: Tecnologia de ionização que permite a produção controlada de iões negativos de oxigénio.

Tratamento com oxigénio negativo sobre uma cuba inoxidável contaminada com Brettanomyces

Referência Leveduras Brettanomyces totais viáveis
Fundo da cuba inox Testemunha <1 UFC /16 cm2
Após a contaminação <1000 UFC /16 cm2
Após 1 hora 2 UFC /16 cm2
Parede da cuba inox Testemunha <1 UFC /16 cm2
Após a contaminação >1000 UFC /16 cm2
Após 1 hora 14 UFC /16 cm2

Tratamento de oxigénio negativo sobre barricas de 228 litros

Análise do ar interior

Amostra Leveduras Brettanomyces totais viáveis (UFC/100L)
T0 Ausência
T1 (contaminação) 1485
T2 (60min) Ausência

Análise da madeira interna

Amostra Leveduras Brettanomyces totais viáveis (UFC/100L)
T2 Aduela (parede interna) Ausência
T2 Aduela (fundo interno) Ausência

 

 

 

 

Desinfecção preventiva ou curativa do ar em zonas de armazenamento de matérias secas (rolhas, cartão, terras diatomáceas, placas filtrantes, etc.)

As áreas de armazenamento podem ser contaminadas por ar circulante mas também pelos diferentes materiais guardados, já que estes podem emitir diferentes aromas negativos e gerar contaminações cruzadas. Nestes casos, o oxigénio negativo pode ser utilizado de maneira preventiva na zona de armazenamento. O oxigénio é um biocida negativo activo que elimina a actividade biológica dos microorganismos e, portanto, o aroma resultante destes. O tratamento do ar é um processo fechado que não requer mais consumíveis além de ar fresco.

Além disso, o oxigénio negativo pode ser aplicado sobre todas as zonas de estabilização e secagem de produtos naturais como a cortiça e a madeira, onde o mofo pode causar reacções de biometilização a partir do precursor clorofenol e formar os compostos conhecidos como TCA, TeCA e TBA.

Rapidamente teremos o VECTOCLEAN disponível.

Etiquetas: ,

4 Respostas a “O Oxigénio Negativo”

  • Maria Jose Says:

    Muchisimas gracias, me bajo todo lo que puedo , me resulta estimulante e interesante saber todo acerca del vino.

    No es dificil , entender lo que dices,
    un saludo
    maria jose

  • Maria Jose Says:

    la faena es que a veces como esta no me lo puedo mandar mail.
    gracias
    de todas formas
    mj.

  • valvanera Says:

    Muy interesante
    Gracias

  • Fabián Pérez Cornejo Says:

    Exelente investigación Enológica.
    La ionización refuerza la estabilidad del vino.
    Estoy aplicando el sistema, muy buenos resultados.
    gracias XABIER.

Deixe um comentário

* não será tornada pública