O amor começa na vinha

“O vinho é feito na vinha”, “os grandes vinhos vêm de vinhas e de boas uvas”; são frases que ouvimos continuamente, e não mentem.

A vinificação começa na vinha e, portanto, é necessário trabalhar de forma transversal, integrando Vinha e Adega, para que permita tomar as decisões adequadas e colocar os meios para atingir esses objetivos.

A monitorização precisa e integrada da viticultura e da enologia mostra-nos a relação estreita entre o estilo do vinho, a variedade e o terroir.

Através de um seguimento preciso e bem parametrizado da Viticultura / Enologia, devemos garantir uma viticultura sustentável que respeite o meio ambiente e permita:

Viticultura:

-Uma produção rentável;

-Favorecer a resistência da planta;

-Limitar os tratamentos fitossanitários;

-Otimizar a reserva hídrica do solo.

Enologia:

-Rendimento da uva;

-Qualidades de acordo com os estilos de vinho definidos: aromas, cores, frescura, estrutura, capacidade de guarda;

-Assegurar as qualidades o propriedades do vinho no tempo, colheita após colheita.

Durante todos estos anos temos medido a cinética de carga em açúcares por bago durante o processo de maturação da uva. Esta velocidade de carga está ligada à atividade fotossintética da planta e à distribuição dos açúcares produzidos. A velocidade de carga em açúcares está relacionado e marcado pelo equilíbrio da planta e o seu estado fisiológico e, por tanto, o eventual stress que pode encontrar (hídrico, mineral, térmico…).

O seguimento da cinética de carga permite-nos conhecer o estilo aromático das uvas e conhecer o máximo potencial em tióis ou terpenos; quando vindimar para ter fruta fresca ou madura em tintos. Também nos permite valorar o potencial vitícola da parcela, a data de vindima em função do ciclo vegetativo da variedade.

Ao longo de todos estes anos temos observado que, por um lado encontramos parcelas com equilíbrios e potenciais muito bons, e por outro lado, também há parcelas com bloqueios na maturação, plantas com stress e é por isso que agora devemos planear novas soluções:

  • Caracterização do grau de azoto nas parcelas, ajudar a pilotagem da fertilização com azoto.
  • Caracterização da saúde do solo a partir do conhecimento de indicadores microbiológicos. Se projetam tratamentos de fertilização orgânica.

Aa fertilização orgânica tem um papel primordial nos equilíbrios e nos estilos dos vinhos. Através de uma nutrição racional e o seguimento bem parametrizado dos efeitos que esta produze na vinha, podemos alcançar os objetivos planeados em cada caso.

Só com um verdadeiro seguimento da vinha, poderemos assegurar os diferentes estilos de vinho e o Terroir de cada um deles.

Deixe um comentário

* não será tornada pública